Geral

A importância da criação de aplicativos nacionais de táxi

O mercado de táxi desde o começo da década está passando por mudanças drásticas. Antes, pontos bem localizados podiam representar o sucesso da sua central. No entanto, com a tecnologia isso está mudando. Uma central sem um app corre sérios riscos de não ir para frente.

É por isso que diversas centrais pelo Brasil estão aderindo à tecnologia Taxi Machine, desenvolvedora de apps. De forma simples, a central consegue entrar no mercado de táxi do século XXI.

Assim, diversos aplicativos de táxi com cunho regional nasceram. Visando competir com os apps de transporte multinacionais, esses apps de táxi possuem essa característica regional, o que pode significar muitas vantagens.

O aplicativo regional oferece ao passageiro um atendimento mais personalizado, já que o taxista conhece melhor a região que atua. Outra vantagem é o suporte não robotizado. Afinal de contas, muitos taxistas reclamam que ao tentar falar com o app em que atuam, sempre são respondidas com mensagens pré-gravadas ou robôs. Apps regionais são um sucesso.

No entanto, esses aplicativos apresentam uma dificuldade para os passageiros. Afinal, caso ele esteja viajando para uma cidade que o seu app não trabalhe, ele terá que baixar um concorrente.

Esse outro app pode oferecer ao seu passageiro um trabalho por todo o Brasil. Acostumado, seu cliente pode não querer voltar para seu aplicativo.

É por isso, que vamos apresentar aqui uma boa solução para as centrais de táxi.

Aplicativos nacionais

A frase é batida e bem clichê, mas ainda é muito válida. A união faz a força. É por isso que aplicativos nacionais de táxi são essenciais. E para isso, a união dos aplicativos regionais é fundamental.

Antes de qualquer coisa um não anula a importância do outro, muito pelo contrário. O modelo de negócio que mostraremos aqui dependerá da união de ambos.

Você conhece a modalidade de transbordo da Taxi Machine?

O transbordo é uma parceria realizada entre aplicativos que usam a plataforma Taxi Machine. Ele garante que seus passageiros sejam sempre atendidos, mesmo que todos os seus taxistas estejam ocupados. Mas como?

Imagine que em uma determinada cidade haja dois apps. O X Taxi e o Fast Taxi. O X Taxi nota que na Região Sul da cidade eles não conseguem atender a demanda. São muitos pedidos de corrida e poucos taxistas. Já na Região Norte, a Fast Táxi tem o mesmo problema.

Assim, os dois apps realizam uma parceria de transbordo. Com isso, se um cliente pedir um carro da X Taxi e não houver taxistas livres, um carro da Fast Taxi o atenderá. Caso isso ocorra com a Fast Taxi, um taxista da X Taxi o atenderá.

E o que isso tem a ver com a criação de um aplicativo nacional?

Uma solução para evitar que seu passageiro precise baixar um outro app, é que os aplicativos regionais se unam para criar um app nacional. É claro que esse app também pode ser estadual ou mais local, o importante é a união das centrais. Elas iriam gerir esses app juntas.

Ele não cadastraria taxistas e funcionaria por meio do transbordo e de parcerias das centrais regionais espalhadas por todo o Brasil. Dessa forma, o seu passageiro baixaria o seu app e se locomoveria nas cidades em que seus parceiros atuariam.

Vamos a um exemplo. Em São Paulo, a central SP Taxi propõe a criação do app Nacional Taxi. A intenção dela é buscar aplicativos parceiros em todas as capitais do Brasil. No primeiro mês ela realiza parceria com a Minas Taxi e a RJ Taxi. Dessa forma, ao baixar a Nacional Taxi, os clientes serão atendidos pela SP Taxi em São Paulo, pela RJ Taxi no Rio de Janeiro e a Minas Taxi em BH.

Como um bom negócio, todos os lados saem ganhando. As centrais parceiras terão mais corridas. Afinal de contas, passageiros de outras cidades usarão o app. E tudo isso sem você precisar aumentar seus gastos com publicidade, já que ficará por conta dessa gestão que sairá da união dos apps.

Os passageiros nunca ficarão na mão, já que haverá mais carros para atender.

Faturamento do app nacional

O modelo de negócio dos apps nacionais permite que a central fature por duas vias. Comissão de cartão de crédito e firmando parceria com empresas. Vamos falar de cada uma delas.

1. Comissão de cartão de crédito

As configurações da plataforma Taxi Machine permite que o app aceite apenas corridas no cartão de crédito. Ao realizar um corrida com o cartão de crédito, o proprietário recebe uma comissão do valor da corrida realizada. Enquanto mais corrida, maior será o faturamento.

2. Parceria com empresas

O controle dos gastos com transportes de uma empresa é sempre problemático. Entregar os recibos para ressarcimento sempre gera muita dor de cabeça para o financeiro. É por isso que muitos optam por acertar um valor pós-pago, ou seja, a central realiza as corridas e ao final do mês eles dão o recibo para a empresa pagar. Um app nacional também pode trabalhar com essa modalidade.

Isso permitirá um maior faturamento para taxistas e para as centrais parceiras.

Voltando ao nosso exemplo. Imagine que o Nacional Taxi feche uma parceria para realizar corridas para uma importante multinacional de refrigerantes. O volume de corridas realizadas pelo funcionário da empresa traria um bom dinheiro para o aplicativo. As viagens seriam realizadas pelas centrais parceiras e a divisão do dinheiro negociada entre as ambas.

Para concluir, o exemplo dos apps nacionais são mais uma amostra de como o mercado de táxi tem muito potencial. Solicite sua demonstração com a Taxi Machine.

 

Veja também
Indicadores Financeiros Para Taxistas
Como se Adaptar ao Novo Mercado na Era Digital